Descubra até onde o basejumping pode levar você

Alguns dos cenários mais bonitos e inóspitos da Terra podem servir para os saltos.

Para onde o basejumping pode levar você

Mas o basejumping também é uma oportunidade de conhecer alguns dos cenários mais bonitos do mundo. Se você vai estar em queda livre por 15 segundos que parecem mais longos, por que não aproveitar a visão? Conheça alguns dos destinos para o esporte.

Grécia

As montanhas e estruturas rochosas à beira dos mares Mediterrâneo e Egeu são escolhidas pelos praticantes do esporte, que querem aproveitar a queda vendo as águas azuis e cristalinas.

Ásia

Grandes cidades de países asiáticos – como Kuala Lumpur, na Malásia, e Dubai, nos Emirados Árabes – também são destinos para a prática. É a oportunidade de ver o horizonte no topo dos arranha-céus mais altos do planeta.

Monte Everest

A montanha mais alta da Terra é cenário para a prática de muitos esportes de aventura, como escaladas. O basejumping é mais uma das modalidades realizadas por lá. Pode ser a chance de chegar ao topo do mundo.

Europa

Que tal se o esporte levasse você a locais pouco conhecidos em continentes muito famosos? É o caso da Europa. Sarajevo, capital da Bósnia e Herzegovina, e os desfiladeiros da Provença francesa são ideias de belos locais para praticar a atividade.

Austrália

Os amantes do basejumping dizem que os saltos na Austrália merecem um crédito extra – não só pela beleza da natureza local, acompanhada de um sol sempre intenso, mas também porque os locais com altura indicada para o esporte são de alto risco e exigem uma técnica aprimorada.

A adrenalina do esporte

basejumping pode levar você apeder o ár

Acompanhada da beleza, a adrenalina do basejumping é o que move os atletas. Que tal saltar de um balão em movimento? Ou de uma ponte onde passam carros a todo instante? Quem sabe um pulo do último andar de um hotel para aterrissar na própria piscina do estabelecimento? Essas são algumas das manobras mais famosas do mundo. Há quem diga que, depois do primeiro salto, não dá mais para parar.

O esportista Miles Daisher está entre os principais praticantes de basejumping, com mais de 4 mil saltos na história. Além de campeão em modalidades do esporte, ele ainda é um dos principais incentivadores da prática, mas convive todos os dias com o risco.

É que saltar de paraquedas não é só beleza e adrenalina. Quem decide começar na atividade precisa ter isso em mente. O profissional Dean Potter, que já havia levado até o cachorro de estimação para os saltos, morreu durante um dia de prática, ao calcular errado sua queda. Para os interessados, o aviso: a linha entre a adrenalina e o risco de acidentes é bastante tênue.

Gostou do artigo? Então aproveite para compartilhá-lo com seus amigos loucos por aventura! E não se esqueça de conferir outras dicas de bem-estar e atividade física aqui no Vivo Mais Saudável.

Saiba o que fazer quando a pressão está alta

Hábitos saudáveis diminuem as chances de crises hipertensivas.

Veja o que fazer quando a pressão está alta

quando a pressão está alta

Dados do Ministério da Saúde mostram que a hipertensão arterial é um dos mais importantes fatores de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares, cerebrovasculares e renais, sendo responsável por pelo menos 40% das mortes por acidente vascular cerebral no Brasil.

Até 2025, o número de hipertensos no país deverá crescer 80%, segundo estudo da Escola de Economia de Londres, do Instituto Karolinska (Suécia) e da Universidade do Estado de Nova Iorque. Atualmente, 17 milhões de brasileiros têm pressão alta. Os motivos para o índice subir tanto, ainda segundo o levantamento, são cigarro, sedentarismo, obesidade, má alimentação e álcool.

O valor de referência da pressão alta é igual ou superior a 14/9, não importando a idade. Para diagnosticar a doença, são necessárias várias aferições, pois isoladamente essa marcação pode ser em decorrência de algum estresse passageiro ou do excesso de consumo de sal. A pressão em 12/8 é considerada satisfatória.

Dá para reduzir a pressão se você:

– parar de fumar ou de ingerir álcool

– reduzir o consumo de sal e de alimentos gordurosos

– praticar esportes

– preferir óleos vegetais para cozinhar

Possíveis sintomas da hipertensão

Saiba o que fazer quando a pressão está alta
Doctor taking pulse of the patient who has life insurance policy, view from the top

Uma pessoa portadora da doença e que já passou por algumas crises hipertensivas tem mais probabilidade de reconhecer a elevação da pressão arterial. É raro, mas alguns pacientes identificam:

– Sensação de mal-estar súbita

– Ansiedade e agitação

– Dor de cabeça muito forte

– Tontura repentina

– Visão borrada

– Dor no peito e dificuldade para respirar

– Tosse e falta de ar.

Prevenir a hipertensão, que tem também fatores hereditários, é viável mediante uma vida saudável. Se você não fuma, não bebe, mantem uma dieta rica em vegetais, evita frituras e pratica atividades físicas, já está num bom caminho.

Ter conhecimento sobre seu corpo e ir ao médico regularmente são outras responsabilidades que você deve ter consigo mesmo. Pelo menos uma vez ao ano, confira a sua pressão. O serviço é disponibilizado em farmácias.

Se você observar alguém passando mal, chame um médico imediatamente. Ao lesionar os vasos sanguíneos e os músculos do coração, o corpo pode ocasionar AVC, infarto, insuficiências renais e cardíacas e até morte súbita.

O que achou do artigo? Deixe um comentário! E aproveite para conferir outras dicas de saúde e atividade física aqui no Vivo Mais Saudável.

Dia do Esportista: Entenda a importância de se exercitar

Meia hora de atividades diárias reflete positivamente na saúde do corpo.

Dia do Esportista: Benefícios do movimento

Dia do Esportista

A prática de esportes é um hábito positivo para melhorar a saúde do organismo e prevenir diversas doenças. Abaixo, você confere algumas das vantagens de ser um atleta, mesmo que amador.

Os exercícios físicos proporcionam melhor circulação sanguínea, o que contribui para o controle da pressão arterial e para a redução da frequência cardíaca de repouso. Além disso, são um importante aliado na prevenção de doenças cardiovasculares, diabetes, colesterol alto e obesidade.

Respiração adequada

O esporte ajuda na melhora da capacidade pulmonar, na resistência respiratória e no fortalecimento dos músculos da região. Dessa forma, o atleta acaba ficando menos propenso a desenvolver problemas respiratórios.

Emagrecimento

Esportistas também desfrutam de mais resistência, força e definição muscular. Ainda, as atividades ajudam na queima de gordura, promovendo o emagrecimento.

Melhora cerebral

Não são apenas os músculos que saem beneficiados pela prática de atividades físicas. Ao se movimentar, a pessoa melhora o funcionamento do sistema nervoso central, potencializando a produção de neurônios nas regiões associadas à aprendizagem e à memória. As chances de o atleta sofrer com ansiedade, depressão, estresse ou insônia também diminuem.

Bem-estar

Cerca de 30 minutos de atividade física já são suficientes para o corpo liberar neurotransmissores conhecidos pela sensação de bem-estar. Ficar mais relaxado colabora para a autoconfiança e a autoestima.

Avaliação e acompanhamento

Entenda a importância de se exercitar

A recomendação é praticar, pelo menos, 30 minutos de atividades físicas, cinco vezes por semana. Você pode apostar numa partida de futebol ou numa caminhada pelo parque, por exemplo. Para sua segurança, porém, é importante fazer uma avaliação médica antes de começar a prática de quaisquer exercícios, certificando-se de que o organismo está apto para as atividades.

Dependendo da modalidade escolhida, também é necessário obter acompanhamento de um profissional. Um educador físico ou um fisioterapeuta poderá lhe orientar sobre movimentos corretos, hábitos saudáveis e uma rotina segura para o seu dia a dia.

Descanso e alimentação saudável também devem estar presentes na rotina do esportista, garantindo melhores resultados e um organismo fortalecido.

Que tal aproveitar o Dia do Esportista para deixar a preguiça de lado e começar numa nova modalidade? Alerte amigos e familiares sobre a importância da prática regular de exercícios! E não se esqueça de acompanhar as dicas de saúde e atividade física do Vivo Mais Saudável.

Exercícios para quem tem bico de papagaio na coluna

Atividades, principalmente na água, podem auxiliar no tratamento e no alívio da dor.

Causas do bico de papagaio na coluna

Exercícios para melhorar a dor na coluna

Segundo o Secretário do Departamento Científico de Dor da Academia Brasileira de Neurologia (ABN), José Geraldo Speciali, a doença se caracteriza por um desgaste natural da coluna espinhal, podendo acometer qualquer nível: região cervical, lombar ou torácica.

“Seu aparecimento depende de muitos fatores, como, por exemplo, tipo de atividade profissional, sedentarismo e obesidade. O aparecimento de osteoartrose também pode ter fator hereditário – certas famílias têm maior probabilidade de apresentarem essa doença”, explica o especialista.

A doença se caracteriza pela presença de dor local, especialmente em alguns movimentos específicos. O incômodo é mais acentuado pela manhã, ao se levantar, ao ficar muito tempo em pé ou sentado ou ao se movimentar a coluna com flexão, extensão ou rotação. A confirmação do diagnóstico é feita com radiografias ou outros exames de imagem da região afetada

Exercícios e tratamento para a osteoartrose

O que fazer para melhorar a dor na coluna

O lado bom do bico de papagaio na coluna, se é que alguma doença tem algo de positivo, é o seu tratamento. De acordo com Speciali, ele é preferencialmente não medicamentoso e são raríssimas as vezes em que há alguma indicação cirúrgica. “Fisioterapia, RPG e exercícios físicos regulares, preferentemente na água, são o caminho”, completa.

Esses são exercícios de baixo impacto, que não forçam as articulações e ainda favorecem o fortalecimento da musculatura abdominal e da coluna. Seja qual for a atividade física escolhida, é recomendada a orientação profissional. Caso contrário, em vez de ajudar, ela pode ser responsável por agravar a doença.

Além desses exercícios, você pode adotar um tratamento preventivo, evitando situações que possam acelerar o processo degenerativo ósseo que leva à osteoartrose. Uma vida bem regrada, sem sobrecarga na coluna – carregar peso, posições forçadas etc. – pode ajudar.

Caso, mesmo com esses cuidados, as dores continuem, o Secretário do Departamento Científico de Dor da ABN recomenda que, nas fases agudas, sejam usados medicamentos sob supervisão médica. Podem-se administrar analgésicos ou anti-inflamatórios.

Gostou das dicas? Então aproveite para compartilhar o artigo com seus amigos nas redes sociais! E não se esqueça de conferir outras novidades de saúde e atividade física aqui no Vivo Mais Saudável.

Saiba como fortalecer as articulações com exercícios

Medida pode ajudar a prevenir e tratar doenças como a artrose, tão comum em idosos.

fundamentais para manter uma boa articulação. Confira a seguir quais são as mais indicadas e conquiste qualidade de vida.

5 exercícios para você experimentar

1. Bicicleta

 fortalecer as articulações com exercícios

Ideal para quem já sofre com algum problema de articulação, pois não causa muito impacto, a bicicleta também ajuda a melhorar a circulação sanguínea e a fortalecer todos os músculos inferiores do corpo.
No entanto, há casos em que ela não é indicada, conforme lembra a  fisiatra Pérola Grinberg Plapler.

Por exemplo, se a região afetada for a patela, os exercícios que dobram e esticam os joelhos, como a pedalada, não devem ser feitos, principalmente se provocarem dor.  

2. Natação e hidroginástica

Quase sem restrições, o nado é o exercício que mais ajuda a fortalecer as articulações sem comprometê-las, devido à total ausência de impacto. Além disso, também é um grande aliado na perda de peso, já que é um exercício aeróbico de grande gasto energético.

O mesmo vale para a hidroginástica. A água amortece o impacto dos pés com o chão e oferece maior resistência que o ar. Os exercícios feitos dentro da piscina trazem um maior consumo de calorias sem prejudicar as articulações.

3. Alongamento

O alongamento também traz diversos benefícios para as articulações dos idosos. Exercícios como a yoga, por exemplo, trazem vantagens, principalmente, por aumentar a flexibilidade, aliviar a tensão muscular e ativar todas as possibilidades de movimento operacionais.

No entanto, se você não curte essa pegada mais zen, a fisioterapeuta Mariana Schamas indica algo mais simples, que também traz resultados. “Ao se deitar e antes de levantar, tente esticar uma perna de cada vez, alongando a parte posterior, fazendo duas séries de dez vezes em cada perna. Essa simples ação ajuda a lubrificar a articulação e alongar a musculatura”, explica.

4. Musculação

Até mesmo os treinos de musculação são benéficos para os idosos, pois enrijecem a estrutura muscular, fortalecendo as camadas que protegem as articulações. Porém, certifique-se de que você não está pegando pesado demais. A orientação de um personal trainer faz toda a diferença nessas horas.

5. Subir escadas

sintomas se não fazer exercícios

Esse é uma das atividades mais eficazes para fortalecer as articulações, os ossos e os músculos dos membros inferiores. E a vantagem é que, com tantas escadas espalhadas por aí, nem é preciso ser aluno de uma academia para se exercitar assim. O único cuidado que você precisa ter é usar o calçado ideal. Procure optar por tênis com molas amortecedoras, que diminuem o impacto.

Gostou das dicas? Então aproveite para compartilhar o artigo com seus amigos e familiares! E não deixe de conferir as novidades de saúde e atividade física do Vivo Mais Saudável.

Scroll to top