Esquizofrenia

Sintomas da esquizofrenia

Muito ao contrário do que muitos pensam a esquizofrenia não é um distúrbio que demonstra múltiplas personalidades. E sim, uma doença muito mais complexa, crônica e que exige um tratamento por toda a vida para aqueles que as obtém.

Loucura não é uma palavra muita coesa para usar quando referimos a esquizofrenia, se torna de certa forma uma palavra de tom preconceituoso, portanto, a palavra mais coerente é transtorno!

A doença de esquizofrenia significa um transtorno mental, onde pessoas esquizofrênicas possuem muita dificuldade de distinguir o imaginário da realidade, seu raciocínio e pensamento lógico são afetados por este distúrbio e por consequências, suas respostas emocionais e comportamentais não são consideradas normais se comparado ao que chamamos de estados de normalidade e sã consciência.

Neste artigo vamos conhecer um pouco mais sobre esta doença que ao mesmo tempo assusta, também nos trazem muitas dúvidas.

O que é esquizofrenia e sua causa?

Como dito anteriormente a esquizofrenia é considera um transtorno mental e suas causas ainda são desconhecidas. Mas, segundo estudiosos e médicos especialistas em saúde mental, acredita-se que exista a combinação de muitos fatores para tal distúrbio, e dentre estes, problemas genéticos e o meio ambiente em que a pessoa convive pode ser uma combinação “bomba” para aqueles propensos a doença.

Sintomas

Os sintomas da esquizofrenia podem variar de uma pessoa para a outra, contudo, os mais comuns são:

  • Delírios;
  • Alucinações;
  • Pensamentos confusos e desorganizados;
  • Habilidades motoras dificultosas e anormais;
  • Não demonstrar sentimentos ou emoções;
  • Não fazem contato visual;
  • Possuem uma fala muito monótona;
  • Diminuição da fala;
  • Total perda de interesse em realizar atividades cotidianas;
  • Perda de ânimo para se cuidar, tornando- se negligentes consigo mesmo;
  • Isolam-se totalmente da vida social;
  • Sentem-se incapazes de fazer qualquer atividade e não alcançam prazer em nada realizado.

Diagnósticos e exames

Diagnóstico

Ainda não existem exames médicos que esteja disponível e que tenha a capacidade de diagnosticar a presença de esquizofrenia em um indivíduo. Para que qualquer pessoa possa ser diagnosticada é necessária avaliação de um médico psiquiatra, onde ele fará uma minuciosa entrevista com a pessoa e todos aqueles que convivem com ela. A partir daí o médico terá uma breve base do psicológico do paciente. Importante lembrar que o paciente nunca deverá ir às consultas sozinho, ou seja, devem ser sempre acompanhados de alguém de seu convívio familiar.

Alguns exames podem ajudar a destacar a doença ou não, mesmo não dando uma certeza sobre o diagnóstico, os médicos especialistas devem pedir:

  • Tomografias;
  • Ressonâncias magnéticas;
  • Exames de sangues.
Esquizofrenia

Tratamento

Como dito no começo deste artigo a esquizofrenia requer um tratamento por toda a vida, mesmo que seus sintomas desapareçam. Os tratamentos são através de terapias psicossociais e medicamentosas, ambas ajudam a controlar a doença.

Durante todo os períodos inclusive os de agravamento dos sintomas ou crises, pode se fazer necessário uma internação hospitalar, garantindo ao paciente toda segurança, alimentação adequada e dosagem correta de medicações. Além do médico psiquiatra, os psicólogos, assistentes sociais e enfermeiros psiquiátricos juntamente com os familiares podem auxiliar nessa reabilitação, sem contar com os efeitos dos medicamentos.

Prevenção

Infelizmente não existe uma maneira de prevenir a doença de esquizofrenia, mas, é muito importante fazer visitas regulares aos seus médicos ou terapeutas, manter uma vida saudável, realizar suas atividades rotineiras. Procure se distrair sempre que possível com uma boa leitura de um livro, uma boa música e dentre outras atividades que façam com que sua mente descanse um pouco.

Doenças do Coração

Começaremos este artigo falando de um modo generalizado sobre todas as doenças cardíacas, e que como algumas pessoas sabem, as doenças ligadas ao coração nunca surgem de forma repentina. Simplesmente aparecem de forma sorrateira e costumam se desenvolver com o passar do tempo e de acordo com os hábitos de vida dessas pessoas. Algumas dessas descobertas só aparecem quando um indivíduo em algum momento de sua vida precise passar por procedimentos ou exames referentes ao coração, o que pode ser através de um simples eletrocardiograma ou realizar um teste de esforço que daí surge o revelado diagnóstico.

Existem diversas doenças que afetam o coração, e neste artigo vamos conhecer algumas delas. Dentre muitas, escolhemos 3, que são elas: arritmia ou disritmia, insuficiência cardíaca e infarto agudo do miocárdio.

Vamos conhecer agora o que é cada uma delas.

Arritmia ou disritmia: mais popularmente conhecida com a palpitação, é uma alteração que ocorre nos nossos batimentos cardíacos.

Insuficiência Cardíaca: é quando o coração não consegue bombear sangue suficiente para suprir toda a necessidade de seu corpo.

Infarto Agudo do miocárdio: mais conhecido como ataque cardíaco ou aperto no peito. Acontece pela ausência ou diminuição de fluxo sanguíneo no coração, com a falta do sangue para levar oxigênio e nutrientes para o coração as suas células começam a morrer, dando o nome de infarto agudo do miocárdio (que é um musculo do coração).

doença do coração

Sintomas

No geral todos os sinais e sintomas que se manifestam em quase todas as doenças cardíacas são muitos parecidos e suas diferenças são mínimas. Listamos os principais que acometem qualquer doença do coração, confiram abaixo:

  • Muita falta de ar estando em repouso ou fazendo algum esforço;
  • Dor na região peitoral;
  • Ficar facilmente cansado;
  • Tonturas e desmaios;
  • Sente palpitações na região do peitoral ou pescoço;
  • Tosses constantes e secas;
  • Pressão alta;
  • As suas extremidades ficam de cor azuladas pela falta do fluxo sanguíneo;
  • Inchaços no geral nas pernas e tornozelos;
  • Apresenta má circulação, principalmente nas pernas;
  • Impotência sexual.

Se você possui alguns desses sintomas, o ideal é procurar um médico cardiologista ou até mesmo vascular, para que eles façam uma avaliação e solicitem todos os exames necessários para diagnosticar ou não a sua doença cardíaca.

Tratamento

doença do coração

Os tratamentos para as doenças cardíacas são muito simples, mas, requerem muita força de vontade. O paciente deverá ter acompanhamento do médico especialista periodicamente e evitar as seguintes atitudes:

  • Sedentarismo;
  • Obesidade;
  • Colesterol descontrolado;
  • Má alimentação;

Além de tudo, você deverá seguir a receita piamente e tomar todas medicações de forma correta, se necessário e se o caso for mais grave, o médico encaminhará os pacientes para outros tratamentos como o cirúrgico.

Prevenção

doença do coração

Para a prevenção das doenças cardíacas as pessoas que tem maior propensão devem ter uma tenção especial, principalmente quando tem históricos familiares deste tipo de doença. Com isso, deverão seguir algumas regras como:

  • Ter uma boa alimentação;
  • Fazer atividades físicas;
  • Diminuir o sal e o açúcar de suas refeições;
  • Cortar as gorduras;
  • Não fumar;
  • Não beber bebidas de teor alcoólico em excesso;
  • Evita tensões e situações que o levam a alto nível de estresse.

Cuidar da saúde nunca é demais. Procure seu médico e mantenha uma atividade física regular para melhor aproveitar os benefícios de uma vida saudável e livre de complicações cardiovasculares.

Cálculo Renal

O cálculo renal é uma doença caracterizada pela presença de uma massa sólida formada por cristais bem pequenos que podem se alojar nos rins ou em qualquer órgão do sistema urinário. Popularmente, o cálculo renal é conhecido como “pedra nos rins”.

Tipos de cálculo Renal

O cálculo renal se apresenta sobre quatro formas diferentes, sendo elas: cálculo de estruvita, cálculo de cistina, cálculo de cálcio e cálculo de ácido úrico.

O cálculo de estruvita costuma ser encontrado em mulheres que sofrem com infecção no trato urinário. As pedras causadas por esse tipo de cálculo podem crescer demasiadamente e obstruir o rim ou a bexiga.

O cálculo de cistina, como o próprio nome já diz, aparece nas pessoas que sofrem com a cistinúria, conhecida doença renal de aspecto hereditário que pode atingir tanto os homens quanto as mulheres.

O cálculo de cálcio é o tipo mais comum, e pode ocorrer com maior incidência nos homens do que nas mulheres. Geralmente, as “pedras” de cálcio aparecem entre os 20 e os 30 anos, e podem surgir novamente mesmo após o tratamento.

Esse tipo de problema acontece quando o cálcio se une à outras substâncias como o fosfato e o carbonato, e forma a pedra. As dietas à base de vitamina D costumam favorecer o surgimento do cálculo.

Cálculo Renal – Sintomas e Tratamento

As pedras nos rins podem existir sem o aparecimento de nenhum sintoma no inicio. A dor só começa quando elas começam a se movimentar pelos órgãos do trato urinário. Entre os principais sintomas da doença, podemos citar:

– Dor ao urinar

– Dores fortes na região abdominal

– Urina avermelhada ou com a presença de sangue

– Necessidade frequente de urinar

– Vômito e náuseas

Se você está sofrendo com um ou mais desses sintomas, está na hora de procurar um médico. Durante a consulta, você deve informar ao médico quais são os seus sintomas, com que frequência eles aparecem e desde quando você notou o surgimento deles.

Como fazer o diagnóstico do cálculo renal

Ultrasom para diagnóstico do cálculo renal

Geralmente, o profissional mais indicado para cuidar de um paciente que apresenta sintomas de cálculo renal é o nefrologista. No momento da consulta, é importante que você esteja preparado para responder à algumas perguntas e também para expor todas as suas dúvidas relacionadas à doença.

Para confirmar o diagnóstico, o médico deverá solicitar alguns exames como exames de sangue, de urina e de imagem.

Antes de começar o tratamento, é necessário identificar qual é o tipo de cálculo renal, o que está provocando o aparecimento das pedras e qual são o tamanho das mesmas.

Geralmente, quando as pedras são muito pequenas, não será preciso que o paciente passe por procedimentos invasivos. É necessário apenas que ele siga estritamente as orientações do médico.

Os médicos costumam sugerir que o paciente beba muita água, para que as pedras sejam eliminadas através da urina, e tome analgésicos para aliviar a dor provocada pelo cálculo renal.

Quando as pedras são muito grandes e provocam dores fortes no paciente, o tratamento deverá ser feito de forma diferente. Nesse caso, as pedras não podem ser eliminadas de forma natural, e é necessário realizar procedimentos mais invasivos, como uma traqueostomia, por exemplo.

Na traqueostomia, o paciente sofrerá um pequeno corte na região das costa, e as pedras maiores serão retiradas por um procedimento cirúrgico.

Para evitar o aparecimento do cálculo renal, procure tomar bastante água, reduzir a quantidade de proteína e sal nas suas refeições e evitar os alimentos ricos em oxalato, como a batata, as nozes e o chocolate.

Como todos nós sabemos, é sempre melhor prevenir do que remediar. O cálculo renal não é um problema grave, a princípio, mas se não for tratado corretamente, pode acabar se tornando um.

Como eliminar o cáculo renal

Como acabar com o cálculo renal

Pequenos cristais são responsáveis pela formação de uma massa sólida que dão origem ao cálculo renal. Esse problema afeta principalmente os rins, mas pode afetar qualquer outro órgão do trato urinário. Se você sofre desse mal, confira como acabar com o cálculo renal.

A causa desse grande problema, pode se dar quando há maiores quantidades de substâncias como o cálcio, ácido úrico e oxalato na urina. São essas as substâncias que são capazes de formar os cristais que dão origem as pedras.

Como acabar com o cálculo renal de uma vez por todas

Quem já sofreu com cálculo renal sabe as dores que esse problema trás. Tamanha são elas que levam a vômitos, náuseas, febre e até mesmo sangue na urina. Sabemos que quanto maior o cálculo, maior a dor também.

  • Beba bastante líquidos

Os líquidos são importantes para qualquer pessoa que queira se manter saudável. Eles são os responsáveis pela hidratação do nosso corpo.

Beber no mínimo dois litros de líquidos por dia, é o mais indicado para quem está com dúvida sobre como acabar com o cálculo renal e colocar um ponto final nesse problema.

A água por exemplo, é capaz de diminuir a concentração da urina. Isso faz com que os cristais sejam diluídos, impedindo o seu crescimento.

  • Evite ingerir álcool em excesso

Em primeiro lugar, o ponto negativo em relação ao álcool é que ele é capaz de criar uma grande dependência. Mas para aqueles que ainda insistem nessa ideia de continuar bebendo de forma exagerada, alguns outros problemas podem ser gerados também.

O álcool aumenta o ácido úrico no nosso organismo por conta de elevar a nossa desidratação. As bebidas que são fermentadas possuem maior quantidade de ácido e o seu consumo pode gerar o problema com as pedras.

  • Cuidado com o seu suor

Seja em razão do calor ou por conta de atividades físicas, o nosso corpo sofre com, além do desgaste físico, com uma desidratação intensa também. Por esse motivo, a urina vai ficando cada vez mais concentrada e as chances de um cálculo renal aparecer, são ainda maiores.

Nunca escolha parar com suas atividades físicas, pois elas auxiliam na nossa saúde. Apenas aprenda que se hidratar é sempre a melhor escolha.

  • Evite comer sal

Com um alto consumo de sal, a excreção do sódio fica elevada. Isso faz com que a produção de fósforo, cálcio,oxalatos e ácido úrico seja aumentada. Justamente isso pode causar as famosas pedras no rim.

Aprenda que uma das alternativas de como acabar com o cálculo renal é realmente usar cada vez menos, o sal. Isso é apenas um hábito que se nós forçarmos o costume, com certeza será possível.

  • Cuidado com as proteínas e com o cálcio

Principalmente as pessoas que já sofrem com o cálculo renal devem aprender a evitar as proteínas e o cálcio em excesso.

A proteína animal por exemplo, aumenta a secreção do ácido úrico urinário. Isso pode ajudar a gerar e a agravar os casos de cálculo renal.

Já em relação ao cálcio, vale somente para as pessoas que desenvolveram esse problema por conta desse nutriente. Em razão disso, será feito um controle para evitar a formação das pedras e também para evitar as que já existem.

Aprenda como acabar com o cálculo renal e dar tchau para esse problema

Nunca esqueça que diante de qualquer desconforto somado com febre, é muito importante procurar por atendimento médico em caráter de urgência. Cuide da sua saúde sempre!

Agora você já conhece algumas dicas de como acabar com o cálculo renal e você já pode começar o mais cedo possível. Não se deixe sofrer com esse problema que causa tantas dores.

Doença de Chagas

Você provavelmente deve ter escutado em algum momento de sua vida falar em doença de chagas. Mas, será que você realmente sabe o que é esta doença? Independentemente de sua resposta, com este artigo você aprenderá muito mais sobre ela, e sobre quais devidos cuidados tomar.

O que é doença de chagas?

É uma infecção causada por um protozoário chamado Trypanosoma cruzi. Sendo que, um de seus maiores vetores são os insetos chamados de hematófagos, popularmente mais conhecidos como bichos babeiros. Desta forma, qualquer ser humano que tiver contato com as fezes dele, poderá adquirir a doença de chagas. A doença pode ser apresentada em duas fases, que são elas:

  • Aguda: esta fase muitas vezes passa desapercebida por não se manifestar clinicamente, seus sintomas podem desaparecer com o tempo, podendo passar anos sem aparecer e se não tratada precocemente evolui para a segunda fase;
  • Crônica: quando a doença de chagas atinge esta fase, suas complicações são muito mais aparentes. Sendo divididas em 3 tipos: digestivas, cardíacas ou mista: – que é a junção das complicações digestivas e cardíacas.

Fatores de risco

  • Morar em cabanas ou casas de pau a pique, onde insetos transmissores da doença de chagas podem se criar em nas paredes;
  • Morar em países que possuem grande incidências do vetor da doença de chagas o bicho barbeiro, principalmente em regiões como México, América Central e a América do Sul;
  • Viver em condições precárias de saneamentos básicos;
  • Receber um transplante de um órgão ou uma transfusão sanguínea de qualquer pessoa que seja portadora do parasita Trypanosoma cruzi, onde a doença de chagas ainda não foi detectada ou não ocorreu manifestações de seus sintomas.

Sintomas da doença de Chagas

Sintomas na fase aguda:

  • Mal-estar;
  • Febre;
  • Inchaço nos olhos e no local da picada do inseto vetor;
  • Fadiga;
  • Dores no corpo e na cabeça;
  • Irritação na pele;
  • Diarreias;
  • Náuseas e vômitos;
  • Aparecimento de nódulos;
  • Grande aumento do baço e do fígado.

Sintomas na fase crônica:

  • Problemas digestivos;
  • Dores na região do abdômen;
  • Dificuldade de engolir;

Diagnósticos e exames

Deonça de chagas

Primeiramente você deverá procurar um especialista quando existe a suspeita de risco para a doença de chagas. A recomendação é que você procure imediatamente um médico infectologista para ter certeza do seu diagnóstico.

O primeiro passo a ser tomado será o exame físico e todo o seu histórico de sintomas, lugares que frequenta e entre outros fatores que podem apontar uma possível contaminação da doença de chagas. Além do exame físico confirmando, o diagnostico o médico poderá solicitar exames para descobrir em que fase da doença você se encontra. São solicitados exames como:

  • Raio-X das regiões do abdômen e tórax;
  • ECG (eletrocardiograma);
  • Ecocardiograma;

Tratamentos

Um dos principais objetivos quando falamos em tratamento para a doença de chagas é tentar eliminar o parasita, reduzir sua ação e aliviar todos os sintomas, pois ainda não existe uma vacina para a prevenção desta doença.

Por ser uma doença muito silenciosa a chance de um indivíduo obter a cura é mínima, pois quanto mais cedo detectada maior a chance de acabar com os sintomas e sua evolução.

Quando na fase aguda existem alguns medicamentos que se tomados corretamente podem ajudar no tratamento, mas quando na fase crônica se faz necessários cuidados específicos para cada problema apresentado. Seu médico dará a devida orientação ao seu tratamento.

Prevenção

  • Controle dos seus vetores principalmente com inseticidas, controlando sua disseminação;
  • Todos os sangues que são frutos de doações passam por testes onde mostra a presença do parasita ou não, se positivo será descartado;
  • Telas em portas ou janelas;
  • Mosqueteiros;
  • Repelentes;
  • Roupas de mangas compridas.

Acidente do Trabalho – É possível Evitar

Acidente do trabalho é o que ocorre durante o exercício da atividade laboral, que provoca lesão corporal que pode levar a morte do trabalhador ou a incapacidade parcial ou total, temporária ou permanente. É interessante salientar que antes de ocorrer o acidente, incidentes são observado e na maioria das vezes não são tratado como deveria.

Incidentes são acontecimentos não desejados que apontam para o acidente iminente.

Exemplos de incidentes:

– Um fio desencapado;

– Uma peça desgastada.

Causas de acidentes

Acidente do trabalho

Acidentes não acontecem, são “oportunizados”. Do ponto de vista da prevenção, todos os acidentes são evitáveis, e quando ocorrem é certamente porque regras, medidas ou procedimentos que preveniriam foram negligenciados.

São considerados para efeito de análise, que os acidentes de trabalho decorrem basicamente de alguns fatores como: fator pessoal de insegurança, ato inseguro e condição ambiente de insegurança.

– Fator pessoal de insegurança. Refere-se a causas relativas ao comportamento humano, que podem levar a ocorrência do acidente ou à prática do ato inseguro.

– Ato inseguro. Constitui ato inseguro a ação ou omissão que, contrariando preceito de segurança, podem causar ou favorecer a ocorrência de acidentes. São exemplos desse fator: brincar durante o serviço, deixar de observar normas de prevenção, correr em escadas, improvisar ferramentas e utilizar cadeiras como escada.

– Condição ambiente de insegurança. Condição do meio que causou o acidente ou contribuiu para a sua ocorrência.

Análise preliminar de risco. Ele pode salvar sua vida

Análise preliminar de risco

APR, ou análise preliminar de risco, é uma técnica de avaliação prévia dos possíveis riscos presentes no ambiente de realização de uma atividade, com o objetivo de diminuí-los ou eliminá-los. No contexto empresarial, a APR deverá ser elaborada por um profissional da área de segurança do trabalho, no entanto na vida cotidiana um leigo também poderá fazer sua APR antes de realizar uma atividade por mais simples que seja, exemplo:

– Movimentar peças de metal junto a rede elétrica;

– Subir numa escada para trocar uma lâmpada;

– Montar um andaime para pintar uma parede;

– Levantar um veículo com uso de um macaco hidráulico para troca de um pneu;

– Levantar a caçamba de um veículo basculante para descarregar material.

São exemplos simples mais que pode constituir uma ameaça a sua integridade física e de quem estiver por perto, e que mediante uma simples análise do ambiente, os riscos poderão ser eliminados.

Scroll to top