Descubra até onde o basejumping pode levar você

Alguns dos cenários mais bonitos e inóspitos da Terra podem servir para os saltos.

Para onde o basejumping pode levar você

Mas o basejumping também é uma oportunidade de conhecer alguns dos cenários mais bonitos do mundo. Se você vai estar em queda livre por 15 segundos que parecem mais longos, por que não aproveitar a visão? Conheça alguns dos destinos para o esporte.

Grécia

As montanhas e estruturas rochosas à beira dos mares Mediterrâneo e Egeu são escolhidas pelos praticantes do esporte, que querem aproveitar a queda vendo as águas azuis e cristalinas.

Ásia

Grandes cidades de países asiáticos – como Kuala Lumpur, na Malásia, e Dubai, nos Emirados Árabes – também são destinos para a prática. É a oportunidade de ver o horizonte no topo dos arranha-céus mais altos do planeta.

Monte Everest

A montanha mais alta da Terra é cenário para a prática de muitos esportes de aventura, como escaladas. O basejumping é mais uma das modalidades realizadas por lá. Pode ser a chance de chegar ao topo do mundo.

Europa

Que tal se o esporte levasse você a locais pouco conhecidos em continentes muito famosos? É o caso da Europa. Sarajevo, capital da Bósnia e Herzegovina, e os desfiladeiros da Provença francesa são ideias de belos locais para praticar a atividade.

Austrália

Os amantes do basejumping dizem que os saltos na Austrália merecem um crédito extra – não só pela beleza da natureza local, acompanhada de um sol sempre intenso, mas também porque os locais com altura indicada para o esporte são de alto risco e exigem uma técnica aprimorada.

A adrenalina do esporte

basejumping pode levar você apeder o ár

Acompanhada da beleza, a adrenalina do basejumping é o que move os atletas. Que tal saltar de um balão em movimento? Ou de uma ponte onde passam carros a todo instante? Quem sabe um pulo do último andar de um hotel para aterrissar na própria piscina do estabelecimento? Essas são algumas das manobras mais famosas do mundo. Há quem diga que, depois do primeiro salto, não dá mais para parar.

O esportista Miles Daisher está entre os principais praticantes de basejumping, com mais de 4 mil saltos na história. Além de campeão em modalidades do esporte, ele ainda é um dos principais incentivadores da prática, mas convive todos os dias com o risco.

É que saltar de paraquedas não é só beleza e adrenalina. Quem decide começar na atividade precisa ter isso em mente. O profissional Dean Potter, que já havia levado até o cachorro de estimação para os saltos, morreu durante um dia de prática, ao calcular errado sua queda. Para os interessados, o aviso: a linha entre a adrenalina e o risco de acidentes é bastante tênue.

Gostou do artigo? Então aproveite para compartilhá-lo com seus amigos loucos por aventura! E não se esqueça de conferir outras dicas de bem-estar e atividade física aqui no Vivo Mais Saudável.

Scroll to top